Micro-dosando psicodélicos

access_time

27 de abril de 2016

As doses comuns de psicodélicos levam a experiências claramente evidentes, normalmente proporcionando efeitos sensoriais, sensações de união com o universo e reflexões profundas. Pode-se dizer que a maioria dos usuários busca este tipo de experiência, normalmente fazendo o uso em ocasiões especiais, com fins recreativos ou espirituais. Mas existe também um nível de dosagem bem menor, que era negligenciado mas que está ganhando popularidade: as micro-doses.

Trata-se de doses bem pequenas – sub-perceptuais – que são incapazes de trazer efeitos psicodélicos e mudanças óbvias na percepção, mas que ainda proporcionam benefícios de uma forma bem sutil, sendo possível integrá-las no cotidiano. De fato, tomar doses mínimas de LSD ou cogumelos psicodélicos no café da manhã pode aprimorar seu dia significativamente. Dentre os benefícios relatados, destacam-se:

  • alívio da ansiedade;
  • melhoras no humor;
  • maior concentração, aumentando a capacidade de executar tarefas que exigem foco;
  • melhor acuidade visual;
  • maior produtividade no trabalho;
  • criatividade aperfeiçoada;
  • leve estímulo comparável ao que uma xícara de café traz, mas que dura o dia todo;
  • tratamento de dependência;

Alguns atletas descrevem melhoras nas suas habilidades e na resistência física, assim como reflexos mais rápidos; melhor equilíbrio; e menor sensibilidade à dor e fraqueza.

Há alguns relatos não confirmados de que Albert Hoffman – o químico que descobriu LSD – tinha um regime regular de micro-doses. Ele também teria afirmado que se não fosse a proibição, o LSD teria sido usado como substituto da Ritalina e outros remédios para TDAH.

Dosagem

A micro-dose de referência para o LSD fica entre 10 – 15µg. Para os cogumelos, varia entre 0.15 – 0.5g. É importante que cada um encontre a dose ideal para seu organismo e para seu propósito, visto que os resultados irão variar de acordo com o indivíduo, o ambiente em que ele está e as atividades que ele irá exercer.

Como as micro-doses são bem pequenas, a tolerância que elas criam também é menor. Com isso, é possível ter um regime de dosagem frequente – a cada 1-3 dias com cogumelos e 3-7 dias com LSD, aproximadamente.

Preparação

LSD

É importante saber a dose da amostra que será dividida em micro-doses. Dependendo de onde a amostra foi adquirida, é possível saber com certa precisão a dose de cada selo. Caso não se faça ideia da dose, há um certo consenso de que a dose média de um quadrado é 100µg, o que pode ser usado como referência – mas não como regra.

Normalmente, as doses de LSD são divididas simplesmente cortando o papel com uma tesoura ou lâmina bem fina. O problema em fazer isto é que nem sempre a dose está distribuída por igual no papel. Cortar o papel pode ser aceitável para dividir doses arbitrariamente, mas no caso das micro-doses, a precisão é mais importante: menos de 10µg e os benefícios provavelmente serão quase imperceptíveis; mais de 15µg e os efeitos podem ficar mais intensos do que o desejado e adequado para contextos como o ambiente de trabalho.

O recomendável é medir as doses volumetricamente, para isso precisamos de água destilada e uma seringa ou copo medidor. Usaremos como referência uma seringa de 10mL e um selo contendo 100µg de LSD. Caso queira usar outras medidas, é só calcular a concentração final da solução, levando em conta a dose do selo e o volume de água:

  1. Usando uma seringa de 10mL, meça 10mL de água destilada (água com cloro irá destruir o LSD) e transfira para um copo ou outro recipiente;
  2. Com uma pinça, misture o selo na água e depois deixe-o imerso por pelo menos 6 horas, guardando a mistura em um lugar escuro; durante esse tempo, a dose que está no papel irá diluir na água, distribuindo-se por igual;
  3. O resultado final será uma solução de 10mL de água contendo 100µg de LSD. Cada 1mL da solução será o equivalente a 10µg de LSD;
  4. Com a seringa, puxe toda a água de volta, com cuidado pra não deixar ar entrar na seringa; se entrar ar, coloque a seringa com a ponta pra cima e pressione lentamente até o ar sair;
  5. A partir daí, é só dosar usando a indicação de volume da seringa. Com essas medidas, 1mL da solução final equivale a 10µg de LSD.

Pode-se tomar as doses puras ou misturar o líquido em outros alimentos. Só fique atento para não misturar em nada que possa destruir o LSD (água com cloro, por exemplo). Armazene a seringa em um local escuro e fresco.

Se você não sabe ao certo a dose da sua amostra, teste a micro-dose em um ambiente tranquilo antes de usá-la no trabalho ou na sala de aula.

Cogumelos

Se os cogumelos ainda não estiverem secos, seque-os! Depois de secos, triture-os em um processador ou liquidificador. Quando triturados, fica mais fácil ajustar a dose.

O ideal é usar uma balança de precisão de pelo menos 0.1g para pesar as doses. Sem uma balança, fica impossível medir as doses com exatidão, mas dá pra usar uma colher de chá como referência. Comece com 1/4 de colher de chá e ajuste conforme necessário.

Efeitos adversos

Em qualquer experiência psicodélica, deve ser levado em conta o estado mental do usuário e o contexto em que ele se encontra, e isto também vale para as micro-doses. Uma micro-dose provavelmente nunca te levará para uma bad trip, mas ainda assim pode influenciar negativamente sua consciência.

É importante notar que nem sempre as micro-doses deixarão seu dia melhor.

Mais informações

http://mundocogumelo.com.br/os-beneficios-de-microdoses-de-lsd-e-psilocibina/

https://www.reddit.com/r/microdosing/wiki/index

http://motherboard.vice.com/read/a-brief-history-of-microdosing

http://highexistence.com/microdosing-lsd-psychedelic/

http://www.forbes.com/sites/robertglatter/2015/11/27/lsd-microdosing-the-new-job-enhancer-in-silicon-valley-and-beyond/

http://www.themorningnews.org/article/the-heretic

Deixe seu comentário

  • Tiago Cavalcante

    Sensacional!

    Tem fontes?

    • dalbinaco

      Sim, atualizei o artigo com alguns links.

  • Matheus Bueno

    Magnífico!