Rotas de administração

access_time

26 de janeiro de 2016

Uma droga pode ser utilizada por diferentes rotas de administração. Cada rota tem suas vantagens e desvantagens. Sob a ótica da redução de danos, é importante saber as peculiaridades de cada uma para evitar problemas como overdose e contaminação de agulhas, por exemplo. Além disto, a rota de administração também está relacionada com o potencial aditivo de cada droga. As rotas que permitem uma chegada mais rápida da droga ao cérebro produzem um efeito mais intenso e interferem mais o circuito da recompensa, podendo causar dependência mais facilmente. É por isso que fumar crack causa mais dependência do que cheirar cocaína, que por sua vez é mais viciante do que mascar folha de coca.

A seguir, uma breve descrição de cada rota de administração e suas vantagens e desvantagens.

Oral

A ingestão oral consiste em engolir a substância. A bebida é um exemplo clássico de droga comumente ingerida, outros exemplos são o MDMA (“ecstasy” ou “bala”) e a cocaína das folhas de coca. Após engolida, a droga rapidamente chega ao estômago. Poucas substâncias são absorvidas pela mucosa do estômago – o álcool é uma delas Após passar pelo estômago, a substância vai para o intestino delgado, onde é absorvida e cai na circulação portal. Através desta circulação a droga vai direto para o fígado, onde já começa a ser metabolizada por enzimas hepáticas. Este fenômeno é chamado de metabolismo de primeira passagem. Só depois de passar pelo fígado que a substância vai para circulação venosa e chega ao coração, de onde vai para a circulação pulmonar, depois retorna ao coração e finalmente chega ao cérebro através da circulação arterial. No cérebro, a droga exerce seus efeitos psicoativos.

Devido ao longo caminho percorrido, a droga ingerida demora a “bater”. O tempo exato de absorção é difícil de determinar, pode ser de cerca de 30 minutos a mais de 1 hora. Ele depende de fatores como presença de alimento e acidez no estômago. Além disso, podem haver variações para cada indivíduo.

O tempo prolongado de adminstração e o metabolismo de primeira passagem faz com que a droga chegue mais lentamente e em menor quantidade ao cérebro, o que normalmente faz com que o efeito seja mais brando e torna seu uso mais seguro.

Vantagens

  • Praticidade;
  • Segurança: o metabolismo de primeira passagem e a possibilidade de reversão da adminstração (vômitos) diminuem o risco de overdose. Os vômitos provocados pela ingestão exagerada de álcool, por exemplo, são um mecanismo de defesa do organismo contra uma quantidade da droga que poderia causar danos ao cérebro.

Desvantagens

  • Absorção irregular;
  • Demora a causar efeito: este problema muitas vezes leva a pessoa a tomar uma nova dose da droga antes da dose anterior surtir efeito, o que acaba levando a um efeito mais intenso do que o pretendido. Por isso, quando se usa substâncias por via oral, o ideal é esperar os efeitos antes de aumentar a dose.

Observação

Os fenômenos estão descritos de uma forma geral para a ingestão oral. Cada droga tem peculiaridades que a faz ser bem ou mal absorvida oralmente. Algumas têm interação com o conteúdo ácido do estômago, o que atrapalha a absorção. Outras são metabolizadas por enzimas no estômago, como o DMT, sendo necessário também ingerir outras substâncias que impeçam esse processo.

Apesar de a ingestão oral normalmente produzir efeitos mais brandos, a maconha por via oral costuma ter efeitos mais fortes do que fumada. Isso possivelmente ocorre porque doses ingeridas seriam maiores do que a dose fumada, além disso, o organismo tem um maior aproveitamento do THC, que não é perdido na fumaça.

Pulmonar (fumar/vaporizar)

As substâncias fumadas produzem efeitos tão imediatos quanto as injetadas. A superfície de contato dos álveolos do pulmão com o ar é muito grande, fazendo com que a droga presente na fumaça seja rapidamente absorvida e chegue diretamente ao coração pela circulação pulmonar, para depois ir para o cérebro. Exemplos de drogas que podem ser fumadas são: maconha, tabaco, crack (cocaína).

Vantagens

  • Efeito imediato sem os riscos inerentes ao uso de agulha da via injetada.

Desvantagens

  • Outras substâncias tóxicas são liberadas ao se queimar a droga (esse dano pode ser reduzido com o uso de vaporizadores no caso da maconha);
  • Doenças pulmonares a longo prazo.

Sublingual

Ocorre quando a droga é colocada debaixo da língua, sendo absorvida pela mucosa oral. Por esta via não há metabolismo de primeira passagem, o que faz com chegue no cérebro mais rapidamente que a via oral. É a via de adminstração mais comum do LSD, NBOMe e outras drogas que são vendidas em blotters, comumente chamadas de “doce”, “papel” ou “ácido”.

Vantagens

  • Praticidade;
  • Absorção mais rápida que oral;
  • Possibilidade de reversão da administração: pode ser cuspida.

Desvantagens

  • Poucas drogas podem ser absorvidas pela mucosa oral.

Nasal

Drogas como cocaína, MDMA e ketamina podem ser inaladas. A mucosa nasal possui vasos sanguíneos que se conectam diretamente com o cérebro. Como a droga não precisa passar pelo fígado e nem pela circulação geral para chegar ao cérebro, seus efeitos podem ser sentidos em cerca de 5 minutos.

Vantagens

  • Efeito rápido.

Desvantagens

  • Efeito irritativo da droga na mucosa: cocaína provoca a diminuição de vasos na mucosa nasal, podendo causar necrose;
  • O compartilhamento de canudos ou cédulas para inalação pode facilitar a contágio de hepatite C. Isso acontece porque a irritação na mucosa provocada pela droga causa lesões nos vasos sanguíneos que provocam micro-sangramentos. Com isso, pequenas quantidades de sangue podem passar de uma pessoa a outra.

Mucosas

Existem outras formas de administração por mucosas que possuem mecanismo de absorção semelhante à via sub-lingual, já que nesta a absorção também se dá através de mucosas. Exemplos desta via são a via ocular (colírios) e anal. Esta última tem propriedades parecidas com a absorção oral, podendo absorver um maior número de substâncias.

Intravenosa

A injeção intravenosa provoca efeitos quase imediatos, pois a droga vai direto para o sangue e em questão de segundos já está no cérebro. Exemplos de drogas que podem ser injetadas são: cocaína, heroína e DMT.

Vantagens

  • Efeito imediato;
  • Maior aproveitamento da droga.

Desvantagens

  • Risco elevado de overdose: como a droga chega rápidamente ao cérebro, seus efeitos são muito mais intensos. A mesma dose de cocaína, por exemplo, terá efeito muito mais forte se for injetada do que se for inalada. Além disso, não há possibilidade de reversão da administração como ocorre na via oral e o tempo para socorrer a overdose é reduzido, visto que toda a droga já se encontra na circulação;
  • Risco de doenças contagiosas, como hepatite C e HIV: o compartilhamento de agulhas e seringas acarreta o risco de contrair essas doenças, mesmo que se tomem medidas caseiras de esterilização. O ideal é não compartilhar;
  • Riscos inerentes ao uso constante da agulha: Mesmo que não se compartilhem agulhas, a má utilização destas podem fazer com que se contaminem com bactérias do ambiente e estas sejam diretamente introduzidas no sangue. Isso pode provocar infecções bacterianas difíceis de serem tratadas. O uso constante de agulhas pode danificar as veias, podendo causar sangramento.

Deixe seu comentário