Ayahuasca é uma bebida fermentada feita a partir uma combinação de plantas que contêm DMT (dimetiltriptamina) e substâncias capazes de inibir a monoamina oxidase (IMAO), que é uma enzima presente no estômago, fígado e intestino capaz de tornar o DMT inativo. O termo “ayahuasca” vem do idioma Quechua, que significa “vinho das almas”.

As plantas mais comumente usadas são Banisteriopsis caapi, também chamada de cipó-mariri, e Psichotria viridis, podendo haver também tabaco, Brugmansia, Datura e outras plantas diferentes. O preparado é feito pela fervura dos componentes. Fora da bacia amazônica, o preparado é feito com outras plantas mais comuns ao redor do mundo, como Mimosa tenuiflora (jurema preta) e sementes de Peganum harmala (arruda da síria) que tenham os IMAO.

A ayahuasca é conhecida por seus complexos efeitos visuais, suas propriedades medicinais e seus poderosos efeitos enteógenos, além de poder causar vômitos e/ou diarreia em seus usuários.

Positivos

  • média a extrema elevação no humor, euforia
  • redução/morte do ego
  • sensação de conexão com o universo
  • sentimentos de amor e empatia
  • sensação de paz interior e aceitação de si, dos outros e do mundo
  • profundas experiências espirituais capazes de proporcionar mudanças na vida
  • cura emocional; mentalmente terapêutico
  • suposta cura física (como efeitos anti-câncer)

Neutros

  • sedação, efeitos visuais intensos, ruído visual
  • alucinações sonoras, alteração na percepção do tempo

Negativos

  • náusea, cólicas, calafrios
  • vômitos e diarreia
  • medo e/ou paranoia
  • sensação de perda do controle mental
  • sensação de que está morrendo
  • desequilíbrio, dificuldade para andar

Duração

Oral
Duração total 4 – 8h
Início 20 – 60min
Primeiras sensações 30 – 45min
Pico 1 – 2h
Diminuição 1 – 2h
Efeitos posteriores 1 – 8h

De acordo com algumas amostras recolhidas por alguns pesquisadores, uma dose média de ayahuasca contém 29mg de DMT e 158mg de beta-carbolinos. Como cada preparo é feito de uma maneira diferente, estes valores variam muito. Mais informações podem ser encontradas aqui.

Existem alguns relatos de lesões e morte associados com o uso de ayahuasca. Como a ayahuasca contém o inibidor da monoamina oxidase (IMAO) – que é responsável por quebrar substâncias tóxicas no organismo – é possível ter severas reações negativas à bebida, principalmente se combinada com alimentos ou medicamentos proscritos. Aqueles que deicidirem tomar ayahuasca devem se informar sobre compostos que são contraindicados em combinação com IMAOs. Em grupos como o Santo Daime, usuários recém-iniciados no ritual são instruídos a respeito das combinações indevidas. Como qualquer psicodélico mais intenso, a ayahuasca pode precipitar mudanças a curto ou longo prazo na personalidade ou catalizar episódios psicóticos ou neuróticos.

Contraindicações

Ayahuasca pode proporcionar extremos efeitos negativos e até a morte se tomada com alguns medicamentos, especialmente antidepressivos como Prozac e outros inibidores da recaptação seletiva da serotonina (SSRIs). Praticantes experientes da ayahuasca e xamãs sul-americanos desencorajam o uso de ayahuasca com a maioria ou até todos os medicamentos farmacêuticos. Em algumas tradições, é necessário passar por um período de abstinência e restrições dietéticas dias antes e depois da ingestão de ayahuasca.

Potencial aditivo

Ayahuasca não tem nenhuma evidência de causar dependência física ou psicológica. Não existem relatos de sintomas de abstinência após o uso.

No Brasil, a ayahuasca é permitida desde 1992 apenas para usos ritualísticos através de entidades religiosas registradas legalmente para aquisição, produção e distribuição do produto. A dificuldade de obtenção dos ingredientes necessários, a produção do chá e a natureza da substância dificultam que seja tratada como uma droga “comercial”. Nos Estados Unidos, a permissão para o uso religioso veio em 2010.