Heroína é um opioide semi-sintético derivado da morfina. Quando injetada via intravenosa, causa um rush muito intenso de euforia que dura alguns minutos, seguido de analgesia por algumas horas. Quando injetada via intramuscular ou inalada, o início é um pouco mais lento e o pico é menos intenso.

A heroína é produzida principalmente na Colômbia, México, sudeste asiático e Afeganistão. Dependendo da forma que é processada, ela pode ser desde uma massa escura pegajosa até um pó marrom, bronze ou branco. As amostras encontradas nas ruas variam muito na sua potência, podendo ser de 5% a até 95% pura.

Os efeitos da heroína variam muito dependendo do usuário, da qualidade da substância, rota de administração e a dose.

Positivos

  • euforia e bem-estar
  • relaxamento
  • sedação, analgesia

Negativos

  • náusea, vômitos
  • prisão de ventre
  • tontura
  • blackout

Duração

Nasal
Duração total 45 – 60min
Início 5 – 15min
Primeiras sensações 10 – 30min
Pico 20 – 40min
Diminuição 30 – 60min
Efeitos posteriores 1 – 3h
Duração total 2 – 5h
Nasal sem tolerância com alta tolerância
Comum 5 – 40mg 20 – 60mg
Alta 20 – 60mg 50 – 150mg

 

Intravenosa sem tolerância com alta tolerância
Comum 5 – 10mg 20 – 40mg
Alta 8 – 15mg 40 – 60mg

 

Pulmonar
Comum 15 – 25mg
Alta 20 – 30mg

 

Oral
Comum 50 – 70mg

Heroína pode causar morte por falha cardio-respiratória. Várias fatores podem aumentar o risco de overdose, incluindo tolerância alta que se desenvolve com o uso frequente. Efeitos da tolerância desaparecem com o tempo, e usuários que interrompem o uso por um tempo podem tomar uma dose que no período de tolerância era segura mas que depois da pausa se torna perigosamente alta. A pureza da heroína encontrada nas ruas também pode variar muito, e isso faz com que usuários não saibam exatamente o quanto estão tomando.

A heroína encontrada nas ruas é normalmente impura, e alguns adulterantes são perigosos. Centenas de usuários de heroína morreram em 2006 nos EUA depois de usar heroína adulterada com fentanil, um poderoso opióide sintético.

Inalar heroína com frequência pode causar danos severos ao nariz, especialmente se usada a longo prazo. Fumar heroína pode causar dificuldades ao respirar.

Contraindicações

  • não opere máquinas pesadas; não dirija;
  • uso intenso ou frequente de opioides durante a gravidez pode causar dependência no feto, também causando efeitos de abstinência após o nascimento; também é associado com bebês nascendo com pouco peso e aumento na mortalidade infantil

Potencial aditivo

Um dos aspectos mais problemáticos da heroína é que ela causa rápida tolerância e dependência física. Em combinação com seus efeitos eufóricos, isso leva muitos usuários a se tornarem dependentes, encontrando dificuldades ao controlar seu uso. Depois que a dependência física se inicia, a descontinuação do uso causa sintomas extremamente desagradáveis como náusea, vômitos, insônia, diarreia, sudorese, tremores, ansiedade extrema, desconforto físico, dor e calafrios.

Problemas de saúde a longo prazo

Problemas associados com o uso frequente de heroína incluem perda de interesse em outras atividades, aumento no uso de medicamentos analgésicos (principalmente opioides) e problemas resultantes dos efeitos depressores do sistema nervoso central.

As complicações a longo prazo mais comuns são dependência e comportamentos compulsivos relacionados ao vício. Usuários dependentes de heroína também têm problemas frequentes não diretamente causados pelos efeitos farmacológicos da droga, mas sim de lesões, doenças e traumas que ocorrem como resultado da tendência de se comprometer em comportamentos arriscados durante o uso, incluindo de obter heroína, muitas vezes enquanto intoxicados.

O uso da substância de forma intravenosa pode expor o usuário a hepatite viral, entre outras doenças fatais; infecções no local da injeção; rupturas e cicatrizes nas veias; danos ao coração e outros problemas relacionados.

Mortes

Todos as rotas de administração da heroína já resultaram em casos de morte por causa do efeito depressor da respiração. O risco aumenta quando a heroína é injetada, tanto por causa da maior intensidade dos efeitos negativos quanto às complicações relacionadas com a injeção, como reações alérgicas e infecções.

A produção, distribuição e possessão de heroína é ilegal no Brasil, assim como na maioria dos países ao redor do mundo.