O LSD é um dos psicodélicos mais usados no mundo. Foi sintetizado pelo químico Albert Hoffman em 1938 e suas propriedades psicoativas descobertas em 1943. É capaz de provocar efeitos mesmo em doses muito pequenas. Pode causar a percepção de padrões visuais, musicais e sensações de conexão ao próximo e ao universo.

Geralmente é encontrado adsorvido a um papel mata-borrão colorido (selo) ou líquido (gota), sendo a forma cristalina mais rara.

O LSD ocupa, hoje, parcela restrita do mercado devido a invenção e difusão dos NBOMe, substância cujo efeito provocado é semelhante e a apresentação e venda se dá na mesma forma que o LSD (em papeis coloridos). É preferível vender NBOMe pois seu custo no atacado chega a ser de 10 a 20 vezes mais barato que o LSD. Diante do desconhecimento dos usuários, ele é vendido no varejo como LSD, proporcionando um lucro maior.

Com o advento dos mercados na deep web, o LSD voltou a ganhar a parcela de mercado que havia perdido, sendo possível comprá-lo a preços acessíveis e com mais certeza de que é de fato LSD.

O início da experiência é marcado por uma sensação similar a antecipação ou ansiedade. É comum uma sensação de energia no corpo, uma sensibilidade maior à luz e a impressão de que as coisas estão de alguma forma diferentes do usual. Quando os efeitos aumentam, uma grande variedade de mudanças notáveis começam a ocorrer: estimulação mental e física, dilatação das pupilas, efeitos visuais com olhos abertos e fechados, mudança no processo de pensamentos, sensação de insight, confusão, paranoia e mudança rápida de emoções (felicidade, medo, tontura, ansiedade, raiva, prazer, irritação).

Positivos

  • sensação de bem estar e aumento na percepção sensorial
  • pensamentos criativos, filosóficos, abstratos ou profundos
  • alterações visuais persistentes com olhos abertos e fechados
  • reflexões psicológicas terapêuticas
  • sensação de conexão com o universo

Neutros

  • dilatação na pupila e dificuldade para se focar numa atividade
  • rubor facial, calafrios, arrepios e sensação de peso sobre o corpo
  • rápida alteração entre emoções (alegria, medo, ansiedade, raiva, felicidade, irritação)
  • leve aumento na temperatura e na frequência cardíaca
  • pensamentos fugazes, alteração na percepção do tempo

Negativos

  • ansiedade, confusão, tontura, náusea, insônia e tensão muscular
  • temperatura corpórea instável, aumento na frequência respiratória
  • megalomania, super sensibilização a sons e músicas
  • paranoia, medo e pânico
  • mudanças indesejáveis na forma de ver a vida

Duração

Oral/Sublingual
Duração total 6 – 12h (mais de 12 horas com doses muito altas)
Início 20 – 60min
Primeiras sensações 15 – 30min
Pico 3 – 6h
Diminuição 3 – 5h
Efeitos posteriores 2 – 5h
Oral/sublingual
Mínima 20µg
Leve 25 – 75µg
Comum 50 – 150µg
Alta 150 – 400µg
Muito alta 400+µg

Mortes resultantes de efeitos farmacológicos do LSD são raras ou inexistentes. No entanto, como é comum a drogas psicoativas, a substância pode induzir alterações cognitivas e emocionais que afetem o comportamento. Mudanças nos sentimentos e pensamentos podem fazer com que o indivíduo altere seu julgamento e conexão com a realidade, levando a acidentes ou situações de risco. Pessoas com predisposição psicológica e condições psiquiátricas podem precipitar, após o uso, respostas psicóticas ou depressão.

Contraindicações

  • não opere máquinas pesadas; não dirija;
  • indivíduos que estejam enfrentando perturbações emocionais nas suas vidas diárias devem ter cuidado ao usar psicodélicos como o LSD visto que esses fatores podem tornar a experiência algo difícil de lidar;
  • indivíduos com histórico familiar de esquizofrenia ou doenças mentais latentes devem ter cuidado porque o LSD é conhecido por engatilhar problemas psicológicos latentes.

Potencial aditivo

LSD não causa dependência física, e é bem improvável de causar dependência psicológica na maioria das pessoas. Efeitos de abstinência não são reportados. Como no caso da maioria das substâncias psicoativas, algumas pessoas reportam se tornar mentalmente habituadas ao LSD. Há um pequeno período de tolerância após o uso. Usar LSD em dois dias seguidos provavelmente causará uma experiência mais fraca no segundo dia, e isso torna improvável o abuso dessa substância.

O LSD se encontra proibido na lista de substâncias sujeitas a controle especial da ANVISA no Brasil desde 1971, sendo proibidas a produção, posse e distribuição.